29.2.12

Diário de Bordo #004: O leitor crítico

Crônicas e textos sobre as aventuras do humilde autor deste blog para se tornar um escritor. Sobre os livros, como fazê-los e as dificuldades do mercado, tudo isso no Diário de Bordo.
Quando você termina um livro, tendo editado-o por completo ou não, está apaixonado por ele e pelo quê você criou. Afinal, fora uma longa e árdua jornada até chegar aqui, com todas essas letras, palavras, verbos, depois de ter construído todo um enredo, história e seus personagens. Mas, claro, daí vem a incerteza. Será que meu livro é tudo isso mesmo o que eu acho?

Essas dúvidas me envolveram assim que terminei a escrita de Roleta Russa, mesmo que achasse que seria o grande best-seller da minha vida ainda achava que tinha que ouvir um opinião de fora, uma opinião que não seja imparcial como a minha que aponte os erros reais. Familiares? Eu já tentei, mas claro, eles adoraram o livro e alguns nem tiveram coragem de por os olhos no livro, por não terem hábito de leitura.

Até que, nesse mundo dos blogs, descobri algo que me ajudaria muito. Era fácil! Eu só tinha que conseguir um leitor crítico que tivesse uma boa experiência e pudesse compreender a mensagem que quero passar no livro, assim como todas as coisas que podem parecer estranhas aos olhos de leitor. Mas como achá-lo? Como encontrar alguém que tivesse a mesma ideia que eu?

Depois de um tempo procurando, pude perceber que era completamente impossível. Pois, só eu terei a ideia perfeita de cada palavra e o que quis passar ali. Algumas cenas que, para mim, são importantes e eu não medi esforços para defender na hora crítica de cortar cenas desnecessárias vão passar um pouco despercebidas pelo leitor, fazendo-o reparar em outras cenas que possam caracterizar o caráter do seu personagem favorito.

Eu resolvi escolher por blogueiros, criando uma campanha de divulgação, algo que muitos outros autores iniciantes fazem por aí. Eu ainda estou para enviar o resto dos exemplares e por enquanto só alguns blogueiros estão com o meu livro na mão. Sim, eu fiquei bastante apreensivo e assim estou até hoje, esperando sua resposta, mas sei que não devo me prender a elas.

Um leitor crítico, de certa forma, pode ser muito bom para você poder notar o que fez de errado e bom no livro e poder destacar o lado bom da história no próximo livro e tentar excluir por completo algo que a pessoa que provou o livro não gostou muito. Escolhi blogueiros porque eles têm uma experiência literária e sabem muito bem analisar os pontos fortes e fracos de um livro.

Mas claro, antes de tudo, eu prometi a mim mesmo que não me abalaria com quaisquer opiniões ruins. Sim, vou procurar melhorar, mas há coisas que fazem parte do que planejei desde o início para o livro e que não posso mudar simplesmente porque não vai de acordo com a opinião do leitor. O leitor crítico é uma ótima opção para poder avaliar seu livro antes das editoras.

Mas se deve tomar cuidado, o jeito como você escreve e a ideia central do enredo não pode ser mudada, se você acha que isso não deve acontecer.


matheus goulart
autor de Roleta Russa, compre: http://www.bookess.com/read/9411-roleta-russa/
acesse o blog da série: www.serieroletarussa.blogspot.com

28.2.12

Spotlight on debut authors #003: Marcelo Lima

Spotlight on: Debut Authors não é nada mais que uma seção para divulgar aqui no blog autores iniciantes.
O Marcelo Lima tem um blog muito legal chamado Gossinp, ele fala sobre séries, músicas e filmes. Foi lá que soube que ele era escritor e me interessei profundamente por esse livro, que deve lançado em breve pela mesma editora, espero que faça bastante sucesso! 

sobre o autor - 
não foi encontrado

sobre o livro -

Mannequim
Tudo parecia perfeito na vida de Anne Sophie Wood após ser selecionada para o concurso mais famoso de Nova Iorque: A garota Mannequim. Porém a garota nem imagina que sua ex melhor amiga Stacy Donavan é uma de suas concorrentes, além de ter a difícil decisão de escolher quem será o seu verdadeiro amor: seu melhor amigo, um modelo perigoso ou um fotógrafo que a deixa de pernas bambas?Com um enredo romântico, cheio de humor, pitadas de mistério e uma vasta invasão ao mundo da moda. Mannequim promete apaixonar os leitores, com seus personagens irresistíveis. 







27.2.12

Book Charts: #002


Book Charts mostra a você o top 20 da lista hospedada pela Veja dos livros mais vendidos da semana. 
1º lugar

O Festim dos CorvosContinuando a saga mais ambiciosa e imaginativa desde O Senhor dos Anéis, As Crónicas de Gelo e Fogo prosseguem após o violento triunfo dos traidores. Enquanto os senhores do Norte lutam incessantemente uns contra os outros e os Homens de Ferro estão prestes a emergir como uma força implacável, a rainha regente Cersei tenta manter intacta a força dos leões em Porto Real. Os jovens lobos, sedentos por vingança, estão dispersos pela terra, cada um envolvido no perigoso jogo dos tronos. Arya abandonou Westeros rumo a Bravos, Bran desapareceu na vastidão enigmática para além da Muralha, Sansa está nas mãos do ambicioso e maquiavélico Mindinho, Jon Snow foi proclamado comandante da Muralha mas tem que enfrentar a vontade férrea do rei Stannis e, no meio de toda a intriga, começam a surgir histórias do outro lado do mar sobre dragões vivos e fogo... Quando Euron Greyjoy consegue ser escolhido como rei das Ilhas de Ferro não são só as ilhas que tremem. O Olho de Corvo tem o objectivo declarado de conquistar Westeros. E o seu povo parece acreditar nele. Mas será ele capaz? Em Porto Real, Cersei enreda-se cada vez mais nas teias da corte. Desprovida do apoio da família, e rodeada por um conselho que ela própria considera incapaz, é ainda confrontada com a presença ameaçadora de uma nova corrente militante da Fé. Como se desenvencilhará de um tal enredo? A guerra está prestes a terminar mas as terras fluviais continuam assoladas por bandos de salteadores. Apesar da morte do Jovem Lobo, Correrrio ainda resiste ao poderio dos Lannister, e Jaime parte para conquistar o baluarte dos Tully. O mesmo Jaime que jurara solenemente a Catelyn Stark não voltar a pegar em armas contra os Tully ou os Stark. Mas todos sabem que o Regicida é um homem sem honra. Ou não será bem assim?
2º lugar

Os Homens Que Não Amavam As MulheresPrimeiro volume de trilogia cult de mistério que se tornou fenômeno mundial de vendas, Os homens que não amavam as mulheres traz uma dupla irresistível de protagonistas-detetives: o jornalista Mikael Blomkvist e a genial e perturbada hacker Lisbeth Salander. Juntos eles desvelam uma trama verdadeiramente escabrosa envolvendo a elite sueca. Os homens que não amavam as mulheres é um enigma a portas fechadas - passa-se na circunvizinhança de uma ilha. Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o veelho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada - o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Ou ser morta. Pois Henrik está convencido de que ela foi assassinada. E que um Vanger a matou. Quase quarenta anos depois o industrial contrata o jornalista Mikael Blomkvist para conduzir uma investigação particular. Mikael, que acabara de ser condenado por difamação contra o financista Wennerström, preocupa-se com a crise de credibilidade que atinge sua revista, a Millennium. Henrik lhe oferece proteção para a Millennium e provas contra Wennerström, se o jornalista consentir em investigar o assassinato de Harriet. Mikael descobre que suas inquirições não são bem-vindas pela família Vanger. E que muitos querem vê-lo pelas costas. De preferência, morto. Com o auxílio de Lisbeth Salander, que conta com uma mente infatigável para a busca de dados - de preferência, os mais sórdidos -, ele logo percebe que a trilha de segredos e perversidades do clã industrial recua até muito antes do desaparecimento ou morte de Harriet. E segue até muito depois.... até um momento presente, desconfortavelmente presente
3º lugar

Um Dia Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas - vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.
 4º lugar
A Guerra dos TronosQuando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, recebe a visita do velho amigo, o rei Robert Baratheon, está longe de adivinhar que a sua vida, e a da sua família, está prestes a entrar numa espiral de tragédia, conspiração e morte. Durante a estadia, o rei convida Eddard a mudar-se para a corte e a assumir a prestigiada posição de Mão do Rei. Este aceita, mas apenas porque desconfia que o anterior detentor desse título foi envenenado pela própria rainha - uma cruel manipuladora do clã Lannister. Assim, perto do rei, Eddard tem esperança de o proteger da rainha. Mas ter os Lannister como inimigos é fatal - a ambição dessa família não tem limites e o rei corre um perigo muito maior do que Eddard temia. Sozinho na corte, Eddard também se apercebe que a sua vida nada vale. E até a sua família, longe no norte, pode estar em perigo.
 5º lugar
DestinadaEm Destinada, as forças da Luz e das Trevas colidem em sua batalha épica centrada na morada da noite de Tulsa. Zoey está no lar onde pertence segura com seu Guardião Guerreiro, Stark, ao seu lado – e se preparando para enfrentar Neferet. Kalona liberou seu poder sobre Rephaim, e, através do presente de Nyx de uma forma humana, ele e Stevie Rae foram finalmente capazes de estar juntos – se Rephaim puder realmente andar no caminho da Deusa e continuar livre da sombra de seu pai. Mas Zoey está realmente segura? Ela realmente sabe quem são os mais próximos a ela? E o amor vencerá quando testado pela alma da Escuridão? Descubra o que está destinado no próximo eletrizante capítulo da série House of Night.

6º lugar

O Cemitério de PragaDurante o século XIX, entre Turim, Palermo e Paris, encontramos uma satanista histérica, um abade que morre duas vezes, alguns cadáveres num esgoto parisiense, um garibaldino que se chamava Ippolito Nievo, desaparecido no mar nas proximidades do Stromboli, o falso bordereau de Dreyfus para a embaixada alemã, o aumento gradual daquela falsificação conhecida como Os Protocolos dos Sábios Anciãos de Sião, que inspirará a Hitler os campos de extermínio, jesuítas que tramam contra os maçons, maçons, carbonários e mazzinianos que estrangulam os padres com as suas próprias tripas, um Garibaldi artrítico com as pernas tortas, os planos dos serviços secretos piemonteses, franceses, prussianos e russos, os massacres numa Paris da Comuna em que se comem os ratos, golpes de punhal, horrendas e fétidas reuniões por parte de criminosos que entre os vapores do absinto planeiam explosões e revoltas de rua, barbas falsas, falsos notários, testamentos enganosos, irmandades diabólicas e missas negras.
7º lugar 


A Menina Que Brincava Com Fogo"Não há inocentes. Apenas diferentes graus de responsabilidade", raciocina Lisbeth Salander, protagonista de A menina que brincava com fogo, de Stieg Larsson. O autor - um jornalista sueco especializado em desmascarar organizações de extrema direita em seu país - morreu sem presenciar o sucesso de sua premiada saga policial, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo. Nada é o que parece ser nas histórias de Larsson. A própria Lisbeth parece uma garota frágil, mas é uma mulher determinada, ardilosa, perita tanto nas artimanhas da ciberpirataria quanto nas táticas do pugilismo, que sabe atacar com precisão quando se vê acuada. Mikael Blomkvist pode parecer apenas um jornalista em busca de um furo, mas no fundo é um investigador obstinado em desenterrar os crimes obscuros da sociedade sueca, sejam os cometidos por repórteres sensacionalistas, sejam os praticados por magistrados corruptos ou ainda aqueles perpetrados por lobos em pele de cordeiro. Um destes, o tutor de Lisbeth, foi mor-to a tiros. Na mesma noite, contudo, dois cordeiros também foram assassinados: um jornalista e uma criminologista que estavam prestes a denunciar uma rede de tráfico de mulheres. A arma usada nos crimes - um Colt 45 Magnum - não só foi a mesma como nela foram encontradas as impressões digitais de Lisbeth. Procurada por triplo homicídio, a moça desaparece. Mikael sabe que ela apenas está esperando o momento certo para provar que não é culpada e fazer justiça a seu modo. Mas ele também sabe que precisa encontrá-la o mais rapidamente possível, pois mesmo uma jovem tão talentosa pode deparar-se com inimigos muito mais formidáveis - e que, se a polícia ou os bandidos a acharem primeiro, o resultado pode ser funesto, para ambos os lados. A menina que brincava com fogo segue as regras clássicas dos melhores thrillers, aplicando-as a elementos contemporâneos, como as novas tecnologias e os ícones da cultura pop. O resultado é um romance ao mesmo tempo movimentado e sangrento, intrigante e impossível de ser deixado de lado. 
8º lugar 

A Tormenta de EspadasA tormenta de espadas, o terceiro livro da série de George R. R. Martin, onde os Sete Reinos já sentem o rigoroso inverno que chega, mas as batalhas parecem estar mais cruéis e impiedosas. Enquanto os Sete Reinos estremecem com a chegada dos temíveis selvagens pela Muralha, numa maré interminável de homens, gigantes e terríveis bestas, Jon Snow, o Bastardo de Winterfell, que se encontra entre eles, divide-se entre sua consciência e o papel que é forçado a desempenhar. Robb Stark, o Jovem Lobo, vence todas as suas batalhas, mas será que ele conseguirá vencer os desafios que não se resolvem apenas com a espada? Arya continua a caminho de Correrrio, mas mesmo alguém tão desembaraçado como ela terá grande dificuldade em ultrapassar os obstáculos que se aproximam. Na corte de Joffrey, em Porto Real, Tyrion luta pela vida, depois de ter sido gravemente ferido na Batalha da Água Negra; e Sansa, livre do compromisso com o homem que agora ocupa o Trono de Ferro, precisa lidar com as consequências de ser a segunda na linha de sucessão de Winterfell, uma vez que Bran e Rickon estariam mortos. No Leste, Daenerys Targaryen navega em direção às terras da sua infância, mas antes ela precisará aportar às desprezíveis cidades dos esclavagistas. Mas a menina indefesa agora é uma mulher poderosa. Quem sabe quanto tempo falta para se transformar em uma conquistadora impiedosa?
9º lugar

As EsganadasComo ator e comediante, o Jô é um grande fazedor de tipos. Sabe como poucos construir um personagem, defini-lo com um detalhe e dar-lhe vida com graça e inteligência. Como autor, essa sua maestria se expande: os tipos são postos no mundo e, mais do que no mundo, numa trama — e o seu criador (eu quase escrevi Criador, pois não deixa de ser um trabalho de deus) se solta. Toda a ficção do Jô é feita de grandes personagens envolvidos em grandes tramas. Os tipos e a trama deste livro são especialmente engenhosos e através deles o autor nos dá um retrato saboroso do Rio de Janeiro no fim dos anos 1930 e começo do Estado Novo — o Rio das vedetes que davam e dos políticos que tomavam, das estrelas do rádio e das corridas de “baratinhas”. E nesse mundo em ebulição chega uma figura portuguesa, saída de um poema do Fernando Pessoa, para elucidar o estranho e terrível caso das gordas desaparecidas que… Mas não vou revelar mais nada. Um dos prazeres da literatura policial é ir acompanhando o desvendar de uma trama, levados de revelação a revelação por alguém com a fórmula exata para nos enlevar — e enredar. No caso do Jô, quem nos guia é um autor que já provou seu domínio do gênero, e que aqui se supera na perfeita dosagem de invenção, humor e erudição que nos prende desde a primeira página, desde a epígrafe. Prepare-se para ser enlevado e enredado, portanto. E prepare-se para outras sensações. Só posso dizer que a trama deixará você, ao mesmo tempo, horrorizado e com fome. E que depois da sua leitura os Pastéis de Santa Clara jamais significarão o mesmo.
10º lugar

A Fúria dos ReisUm cometa da cor do sangue e fogo atravessa o céu. E a partir da cidade antiga de Dragonstone às margens proibidas de Winterfell, reina o caos. Seis nações lutam pelo controle de uma terra dividida e pelo Trono de Ferro dos Sete Reinos, preparando-se para o embate através de tumulto, confusão e guerra. É um conto em que irmãos conspiram contra irmão e os mortos se levantam no meio da noite. Neste lugar uma princesa se disfarça como um garoto órfão, um cavaleiro espiritual prepara um veneno para uma feiticeira traidora, e homens selvagens descem das Montanhas da Lua para devastar o campo de batalha. Com um pano de fundo incesto, alquimia e assassinato, a vitória pode chegar aos homens e mulheres possuidores do aço mais frio … e corações mais gelados. Quando há um confronto entre reis, toda a terra treme.
-10

11º lugar // A Visita Cruel do Tempo - Jenifer Egan
12º lugar // Um Homem de Sorte - Nicholas Sparks
13º lugar // Marina - Carlos Ruíz Zafón
14º lugar // Assassin's Creed: Renascença - Oliver Bowden
15º lugar // Silêncio - Becca Fitzpatrick
16º lugar // O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry
17º lugar // Millenium: A Rainha do Castelo de Ar - Stieg Larsson
18º lugar // A Cabana - William Young
19º lugar // Jogos Vorazes - Suzanne Collins
20º lugar // Querido John - Nicholas Sparks




SOBE - 
  • Destinada da série House of Night debuta muito bem, começa em quinto lugar. 
  • A saga Millenium tem um aumento absoluto, seu primeiro volume foi do sexto lugar da semana passada para o segundo desta. Eu aposto no primeiro lugar para a semana que vem.
  • Um Dia desce uma colocação, mas continua no pódio.
  • Guerra dos Tronos sobe colocações consideravelmente e O Festim Dos Corvos no topo consagra a saga como master best-seller. Anteriormente em 20º lugar, A Tormenta de Espadas consegue o oitavo lugar e ficar entre o Top 10.
DESCE -
  • Destinada da série House of Night debuta muito bem, começa em quinto lugar.
  • O Cemitério de Praga desce duas posições.
  • Assim como disse na aposta, semana passada, As Esganadas só tende a descer e ficou em nono, quase saindo dos 10+.
  • Parece que o fôlego de debutante de Silêncio acabou, em algumas vezes devemos ver o livro saindo da lista.

26.2.12

Resenha: Um Mundo Brilhante - T. Greenwood


Um Mundo Brilhante
Editora: Novo Conceito
Autor: T. Greenwood
Ano: 2012
Título Original: The Glittering World
Páginas: 336
Tempo de leitura: 12 dias

Eu nunca pensei que Um Mundo Brilhante seria tão bom assim. Quando a editora avisou que estava me mandando seu lançamento, eu não me animei muito para ler o livro. A capa era linda, mas não me parecia meu estilo de leitura.

As sinopses da Novo Conceito nunca fazem jus aos livros, muito menos esse subtítulo. Mas, de fato, as aparências enganam e este livro acaba se tornando a melhor leitura desse primeiro semestre por enquanto, já comecei o ano bem.

Tudo começa na manhã após a noite de Halloween, numa cidade fictícia chamada Flagstaff, o professor e bar-man Ben Bailey encontra no quintal de sua casa um garoto morto, de etnia indígena e da tribo dos navajos, ele sangrou até morrer e esse é o pontapé inicial para uma rede de acontecimentos e também para começar a história do professor.
De qualquer modo, ninguém espera sair pela porta da frente em um domingo para buscar o jornal e encontrar uma pessoa morta na calçada.
Ben tem uma noiva, Sara, os dois não vivem como um casal de verdade faz algum tempo e ele conta mentiras sobre onde está e o que está fazendo, apenas por mentir mesmo, uma vez que sempre foi fiel ao seu relacionamento. Mas a morte de Ricky Begay - o garoto índio que ele encontrou no quintal -  faz com que ele se aproxime secretamente da irmã dele.

Os dois criam uma relação perigosa e extraconjugal, mas Ben não se sentia fazia meses, feliz, apaixonando-se por Shadi, a irmã de Ricky. Ao mesmo tempo em que tentam descobrir as pessoas que executaram o garoto e como aquilo foi acontecer, a vida de Ben e Sara começa a se preparar para uma coisa bem maior (que não posso contar, senão vira spoiler) e seu relacionamento com Shadi vai por água abaixo, precisando Bailey de ficar ao lado de sua noiva.

Eu não sei se você entendeu muito dos relacionamentos e acontecimentos desta sinopse, porque me preocupei em não detalhar muito as coisas. Afinal, o destaque de Um Mundo Brilhante foi que comecei totalmente no escuro, sem muitas expectativas com ações dos personagens e desenvolvimento do enredo e me impressionei positivamente com tudo, descobrindo com o virar das páginas.
Há muito tempo, tudo estava inteiro. Ben se lembrava daquela época como se ela pertencesse a algum outro Ben. Um Ben feliz, sorridente e distante. Uma vida parecida com um filme Super 8 tremeluzente, projetado em um lençol estendido na parede de um porão.
A história deste livro começa bem rotineira, um pouco dramática, mas com sintomas de normalidade, um casal em crise, um acontecimento que pode desencadear várias outras coisas, mas você realmente não sabe o que esperar, porque na trama de Greenwood tudo é bem real e você sabe que, na vida tudo é possível, então fica à espreita na espera de alguma coisa que fuja dessa normalidade do início.

A partir de algumas páginas, no meio, sendo muito bem conduzido até esta parte do livro, começo a perceber que o enredo vai muito além disso. A autora reserva muito mais para nós quando começa a incorporar neste livro uma trama policial e um pouco de drama, e você fica só lendo as páginas ferozmente aguardando pelo que mais pode acontecer nessa história quase real.

O final do livro é bom, embora não possa classificá-lo como surpreendente. Será que posso dizer? Mas, só sei que não termina com um final feliz. Para mim, a última página foi perturbadora, a lição que a autora tenta passar no fim, concluindo tudo, tem aquele sentimento de "Hã? Já acabou", eu pensei em ficar com raiva, reclamar do final.
— Talvez eu possa esperar pelo seu pai aqui  — disse ele.
Sara riu.
—  Acho que não.
—  Venha conosco Ben, vai ser divertido.

Mas isso só reforça o quão genial é a obra de Tamy, ela chega de mansinho, bem sutil, afunila acontecimentos, falas, alterna com momentos de calmaria, para atingí-lo com uma avalanche. E ver o que acontece com Ben no final foi bem triste, porque ele - apesar de ser aquele tipo de personagem que faz coisas que não são de agrado geral - é digno de torcida.

Agora, quanto aos personagens. Poucas vezes eu torço ferozmente para que um personagem ganhe um final feliz no final e Ben foi um desses. O mero professor tem uma guinada terrível em sua vida, apesar de só ganhar coisas boas, ele percebe que o mundo que ele está vivendo não é ao qual ele pertence, mas não pode mais sair, afinal é adulto e essa é a vida real!

O cruel é que, mesmo Ben fazendo coisas que as mulheres leitoras provavelmente não concordem, como trair a esposa, o cara só fez as coisas para a própria felicidade. Foi angustiante ler, no clímax do livro, Bailey todo feliz com o futuro, com o que planejava e por ter descoberto um novo amor e ser atingido por um balde de água frio, encerrando com todos os seus sonhos e sua tentativa de finalmente ser feliz por completo.

Algo que me incomodou um pouco na personalidade dele, foi que Ben fica numa indecisão tremenda. As coisas seriam bem diferentes se ele não mentisse sobre Shadi para Sara, se ele tivesse dito desde o começo, a pobre da Sara não teria pensado o tempo todo que ele a amava e teria se tocado de que ele estava interessado na índia.
E pensou na sua vida. Sobre como ela era limpa e brilhante. Como tudo era cintilante. E dourado.
Só que, a partir de um momento, fica quase impossível que Ben largue Sara, suas mentiras desnecessárias só fazem que ele se dá mais mal no futuro, mesmo que, no começo, tivesse boa intenção nos encontros com Shadi. Não que não tivesse depois, mas ele sempre juntava a fome com a vontade de comer. E se encontrava com ela para poder contar as novidades sobre a morte do seu irmão, como também para trair sua noiva.

Os personagens, na minha opinião, são bem reais. Não deu para sentir raiva de Sara, já que ela foi apenas bombardeada com as coisas da vida e nunca planejou o que chega a acontecer com ela, os personagens realistas fazem com que a trama seja mais realista dando consistência e mais emoção ao livro, fazendo-nos pensar que quem sofre tudo isso sejam pessoas reais.

A capa deste livro é um absurdo de linda, verniz localizado e todo esse brilho. A diagramação é simples, mas a moleza e a leveza dos livros da Novo Conceito são apaixonantes, dá para lê-los sem precisar ficar apoiando nas pernas ou na mesa, só que mesmo assim eu cansei, porque, Um Mundo Brilhante é um livro para se devorar, pois não dá para dormir com todo esse enredo maravilhoso.

A escrita da autora é bem simplória, ela tem muito êxito na narração em terceira pessoa, uma vez que gosta de contar histórias anteriores ao livro de alguns personagens especiais, assim como sabe resumir algumas coisas que não foram passadas totalmente no livro de forma que nos encontramos imaginando a fala e o jeito como aconteceu mentalmente.

Concluindo, eu recomendo bastante esse livro se você gosta de tramas realistas, confesso que pouco tinha contato com esse tipo de livro que não chega a ser semelhante aos livros do Nicholas Sparks porque, apesar de tudo, o romance não é a base central de tudo, é só o que liga os personagens principais. O livro de T. Greenwood vai muito além do puro romance incorpora a questão do ódio étnico que foi muito bem abordada, por sinal. Recomendo bastante, se gosta desse tipo de livro é um prato cheio!
— Duvido que isso aconteça.
— Por quê? — perguntou Ben, embora soubesse qual era o motivo. O que é que Sara havia dito a Melanie? O que ela sabia?
— Você cavou a sua cova, Benny — disse Melanie, dando-lhe um tapinha nas costas e sorrindo para ele, com os olhos cheios de pena. — E acho que agora vocês dois estão deitados nela.
10 / 10
Justificativa: Um livro espirituoso, de bom enredo e realista.

[B&L Web-Dramaturgia] Eterno Pra Você - Capitulo 2


Capitulos Anteriores:

Sinopse: Como superar a perda? Isso é tudo o que Melissa Braga gostaria de saber. Devastada com a morte de seu namorado, Lucas, em um acidente trágico, ela não sabe como prosseguir com sua vida. Tudo parece fazê-la lembrá-lo. O seu terceiro ano do colégio começa e aparentemente, ninguém mais quer se aproximar dela a não ser Jessie, o intercambista londrino, que parece conhecer de todas as artimanhas para fazê-la ficar apaixonada por ele. Mas Melissa ainda ama Lucas. Ela deve se prender a Lucas ou deixá-lo ir embora de sua vida?

Capitulo Dois

Melissa acorda no hospital sua mãe, Giulia está ao seu lado. Seus olhos estão inchados, perfeitamente adequado para ela que devia ter chorado a noite inteira. O sol entrava pela janela do quarto de Mel.

[Giulia] Ah! Graças a Deus! Você acordou!

Melissa agora lembra-se da noite anterior. De ter comido no Subway. De ter beijado seu namorado. De ele ter levado-a para casa. Depois vieram outras lembranças. De eles terem desviado da luz do caminhão negligente. De Lucas ter desviado o carro para o lado. De eles descerem o morro e carro capotar. E, por fim, de Lucas ter morrido em seus braços.

[Melissa] Não, por favor! Diga-me que é mentira! Diga-me que depois que caímos eu dormi! Ele morreu?
[Giulia] Acalme-se, isso não vai fazer bem pra você. Sua saúde está muito debilitada.
[Melissa] Minha saúde? E que se dane minha saúde! Eu não quero mais ficar viva. Não tenho forças para viver sem ele.
[Giulia] Eu entendo que é uma perda muito ruim pra você...
[Melissa] Ah, entende? A perda do papai por divórcio? A sua traição? Nem de longe a minha dor vai ser tão pequena com essas que você pode ter sentido.
[Giulia] Eu errei, mas...
[Melissa] Quero que saia daqui! Quero ficar sozinha por um tempo.

Giulia obedece à filha e vai embora do quarto. Melissa para um pouco e se arrepende de ter sido rude com sua mãe. Mas isso foi inevitável, Mel estava com isso engasgado em sua garganta desde quando tudo aconteceu. Sua mãe traiu seu pai e ele pediu o divórcio. E agora ela está depressiva por que ele arranjou outra mulher. Melissa chora tanto que quase fica desidratada. Hora ou outra algumas enfermeiras aparecem e então ela torna a chorar novamente. Só em pensar que ela nunca o teria novamente. Nunca mais o beijaria.

Os dias se passaram, houve o funeral e um pouco depois sua perna já estava novinha em folha. Na segunda-feira, ela se arrumava para ir à escola. Pegou sua mochila, pôs nas costas e andou até a rua. Um táxi passou logo em frente e ela pediu que parasse. Entrou no carro.

[Melissa] Bom Dia. Quero que me leve até o colégio Paulo Coelho. [Diz ela, sem o mínimo de emoção]
[Taxista] Ok, pode deixar.

Alguns minutos depois ela já estava na entrada de sua escola e foi difícil entrar ali. Não por causa das pessoas que a ficavam encarando, mesmo que isso também tenha sido muito constrangedor, mas porque tudo ali lhe lembrava Lucas. Os corredores em que eles desfilavam de mãos dadas, o refeitório onde partilhavam seu lanche, no ginásio onde ela o observava fazer educação física (e se derretia toda!).

[Paula] Mel? É você? [Diz uma garota por trás e ela logo presume que se seja sua melhor-amiga. Paula.]
[Melissa] Oi, Paula.
[Paula] Meus pêsames por Lucas. Vamos para a sala? [Paula pega Melissa pelo braço e as duas caminham juntas em direção a sala de aula do terceiro ano.] Então, você reparou que o pessoal não quer falar com você? [Mel apenas balança a cabeça afirmativamente] Pois é, ontem foi parar no blog da escola que você era uma péssima companhia. Sabe? Tipo um anjo da morte. E... Você sabe quem atualiza o blog?
[Melissa] Não, quem?
[Paula] Vanessa Pimenta! Aliás, falando no diabo...

Melissa vira para trás e Márcia está lá. Com seu uniforme adaptado, a calça jeans para ela é um short super curto e a blusa (disponível em várias cores), para ela, também não é uma das cores selecionáveis da escola. De alguma forma ela conseguiu fazer uma rosa-pink e Melissa nem queria saber como ela conseguira fazer isso.

[Márcia] Meus pêsames, anjo da morte. Sei que você gostava muito do Lucas, que aliás, foi muito cedo. Eu gostava muito de pegá-lo todas as sextas-feiras quando você ia pra aula de música. Tão lindo...
[Melissa] O-o-que você disse?

Melissa fica desolada. A única pessoa que sabia que ela ia fazer aula de música todas as sextas-feiras era Lucas. E ele sempre falava que ia fazer hora extra no seu trabalho de meio-período na mesma hora. Será que Márcia falava a verdade?

Continua no próximo domingo...

25.2.12

Playlist #013: (Especial Grammy) Os prêmios de Adele, Katy Perry e Nicki Minaj

Playlist fala sobre o que aconteceu no mundo da música, sempre em três ou quatro tópicos, informando a você sobre os artistas que não saem do seu iPod e dos holofotes, é claro.

Desculpe-me por estar escrevendo sobre isso logo agora, é que final de semana passado, estava em viagem por causa do carnaval e já tinha explicado vocês. Mas nunca imaginaria que perderia tanta coisa nesse meio tempo. Fato é que a Playlist #14 já está se formando na minha cabeça com tanto assunto e coisa legal (ou não) que rolou nesse mundo pop durante minha ausência de atualizações.

Enfim, não teve pra ninguém. A vencedora do Grammy 2012 foi Adele, de acordo com as apostas de muitas pessoas. Eu adoro a cantora, mas é que já está me dando de raiva de tudo o que ela ganha (risos). Sem esforço nenhum ela continua sempre no topo da Billboard, se apresentações dos novos singles, sem nada. Mas, vamos mudar de assunto, Adele saiu da premiação com seis vitrolinhas de ouro.

E também recebeu sua consagração como cantora, destaque do ano passado e claro, destaca seu álbum 21 como um dos mais bem-sucedidos, vendidos, elogiados e premiados do ano. Muitas outras pessoas que tem o nosso coração e tinham a nossa torcida, como a Katy Perry, Rihanna e Lady Gaga não ganharam nada e saíram de mãos vazias, elas estavam de dieta. Já Adele...

Não bastasse o grande destaque por vencer as categorias, a cantora ainda performou e foi uma das melhores da edição, uma vez que a noite estava com apresentações preguiçosas, chatas e mais do mesmo. Talvez pela morte recente da diva Whitney Houston ou só pelo mundo pop estar meio frio ou até então por todo mundo saber desde o início que Adele levaria tudo.

Eu adorei a performance, mesmo que preferisse que ela cantasse seu novo single, Set Fire To The Rain que eu, particularmente, adoro. Mas mesmo assim, a boa e velha e hit, Rolling in the deep foi a primeira música que ela performou depois da fatídica operação na garganta que a deixou parada por alguns meses, e arrasou. Tudo estava perfeito, sua voz, os ritmistas e as backing vocals. Parabéns, Adele, você mereceu!


Mesmo que os holofotes tenham permanecido na cantora de Someone Like You, Katy Perry fora uma das poucas performances notáveis e boas da premiação. A cantora açucarada performou pela primeira vez o single Part of Me, do novo CD, uma conclusão de Teenage Dream um sucesso tremendo encomendado por Perry e seus hitmakers produtores.

Tudo começou com uma apresentação de seu antigo single (Um dos muitos #1 no Top 100 que ela conseguiu com o álbum), algo simples, com os dançarinos em volta. Até que um aparente erro técnico faz a cantora cair no chão e tudo desliga. Você pensa: OMG! Isso foi erro técnico mesmo? Assim que estava correndo para o twitter comentar...

A cantora aparece em uma caixa/ cubo no alto do palco e começa a cantar, no meio da música ela o quebra e tem uma das performances mais eletrizantes de sua carreira, na semana passada, eu destaquei aqui meu amor por POM e eu continuo apaixonado por essa música. Essa era uma performance que eu acharia clichê e chata com Madonna, Lady Gaga, Nicki Minaj.

Mas com Katy, tudo pareceu tão inédito, porque realmente é! O The Complete Confection, apesar de ser uma conclusão do seu álbum anterior, que se destacava por ser infatil, dócil e chiclete, mostra uma Katy madura e é isso que ela quis reforçar. Quis mostrar a todos essa nova parte dela (Desculpe-me pelo trocadilho) que eu adorei conhecer e quero muito mais.

Por parte dos críticos, blogs e das pessoas "normais", digamos assim, a apresentação foi um pouco criticada. Eles não gostaram do desempenho vocal da Katy, embora eu tenha achado bom. E todo criticou muito esse cabelo crespo e azul dela, qual é, gente? A pessoa precisa estar perfeita para se apresentar. O que valeu foi que Katy Perry conseguiu fazer muito bem esse papel adulto. Um dos grandes destaques desse Grammy.

Essa semana comentou-se sobre o sétimo número um da cantora na Billboard e não é que ela conseguiu? Apesar das críticas à Part of Me, a performance no Grammy alavancou de forma monstruosa as vendas e o single debutou (estreou) em primeiro lugar, se tornando o sétimo primeiro lugar na carreira de Katy Perry. Isso não é coisa pra qualquer um e poucos artistas conseguem.


Sem dúvida, Nicki Minaj foi quem esquentou o Grammy deste ano. Com a participação quase fantasma de Lady Gaga, Nicki fez o seu papel e polemizou logo no tapete vermelho, quando entrou com um vestido que mais parecia um saco, com o símbolo da marca Versace e com cara de anêmica/ possuída/ maluca/ doente. Eu senti um pouco de medo, mas fiquei à espera de sua performance.

No começo fiquei com raiva de Minaj, senti uma falta de respeito, com tantos artistas de luto, ela vir toda de vermelho, "tá querendo aparecer", eu pensei. Mas, depois cheguei à conclusão de que se não fosse por ela, esse Grammy seria uma perda de tempo e nós nem teríamos o que comentar aqui. Se não fosse por estas artistas corajosas, essa Playlist ficaria sem assunto.

Nicki agora trabalhava com a ex-diretora criativa de Lady Gaga, então você já pode ver que eu torci um pouco um nariz, afinal, trabalhar com simbolismos e religião era uma coisa que Gaga sempre fazia e Nicki agora se aproveitava da coragem que um dia a cantora teve para poder usar à seu favor. A apresentação dela foi terrível e de mau gosto.

Desde o começo eu já sabia que ela ia escorregar no exagero, com Gaga, tudo tinha um significado, uma razão de se fazer, com Nicki tudo foi apenas para "exteriorizar sua maluquice", disse ela. Mas eu ainda acho que foi um truque para aparecer. Ela não é assim, sempre foi extravagante, mas seu estilo sempre o rap-freak, as roupas malucas, mas "Normais", digamos assim.

A partir do VMA 2011, todos nós já vimos como Gaga tinha afetado a carreira destas artistas e, ao ver a performance de Nicki no Grammy. Meu Deus! Tudo começa com Roman Revenge, uma música que eu gosto, e ela se confessando ao padre, logo depois um vídeo que mostra ela sendo exorcizada pelo padre, voltamos ao palco e temos Nicki amarrada.

Suas amarras se soltam e ela mostra pouco fôlego para a música e os movimentos, ela tenta dançar e andar. O padre chega, os vidros postiços de quebram e ela levita, como em uma cena de O Exorcista. Minha conclusão: Não acho legal se mexer com esse tipo de coisa, simplesmente por mexer, simplesmente porque chama atenção e gera comentários. Acho Nicki bem maior do que isso, ela não é assim e não precisa disso. Então é deste jeito, com um pouco de revolta, que acaba a Playlist #13, até a próxima, pessoal!

24.2.12

Eu ♥ Capas: #003

Uma capa diz muito sobre um livro, assim como influencia na hora da compra. Veja aqui as capas que eu ♥.
Continuando aqui com as semanas temáticas, esta semana iremos mostrar capas de livros épicos que todo mundo ama que já viraram filmes ou séries e que fazem muito sucesso. Essas capas geralmente são muito bem trabalhadas e em sua maioria enigmáticas ou com fotos de cenários do livro. Escolha a sua favorita e vamos ao debate nos comentários, afinal eles existem para isso!

A Sociedade do AnelAs Duas TorresO Retorno do Rei
A Guerra dos TronosA Fúria dos ReisA Tormenta de Espadas
As Crônicas de Nárnia: O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupaAs Crônicas de Nárnia: O Sobrinho do MagoAs Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian

23.2.12

T.G.I.F: Mannequim, Booktrailer legendado de "Shatter me", capa de Hidden e "Sorry for party rocking" (#002)

[adendo] Este post não era pra ter sido postado hoje, desculpe-me, mas a nova edição de Eu ♥ Capas sai só amanhã!

Uma versão mais livre de Playlist, com meus comentários sobre o que mais me chamou atenção no mundo do entretenimento.

Pra quem acompanha o blog do querido Marcelo Lima, já sabe há um bom tempo que ele tinha escrito um livro chamado Mannequim e este estava prestes a ser publicado pela editora Modo. Ele também tinha dito, via twitter, que estava indeciso sobre as capas que ia escolher para o livro e, sem dúvida, fez uma ótima escolha. Mas, antes de ver a capa, assista ao booktrailer do livro

A capa e a sinopse estão abaixo, e aí, gostaram? O livro tem lançamento previsto para maio desse ano, eu já estou me preparando para a compra. Pra quem não sabe, a música do booktrailer é Give Your Heart a Break da Demi Lovato, então, se gostou pode baixar! Adendo: Clique na capa abaixo para ver em tamanho gigante e apreciar esta capa linda!

Tudo parecia perfeito na vida de Anne Sophie Wood após ser selecionada para o concurso mais famoso de Nova Iorque: A garota Mannequim. Porém nem imagina que sua ex melhor amiga Stacy Donavan é uma de suas concorrentes, além de ter a difícil decisão de escolher quem será o seu verdadeiro amor: seu melhor amigo, um modelo perigoso ou um fotógrafo que a deixa de pernas bambas? Com um enredo romântico, cheio de humor, pitadas de mistério e uma vasta invasão ao mundo da moda. Mannequim promete apaixonar os leitores, com seus personagens irresistíveis.




A Novo Conceito, nossa editora parceira, anunciou que estará publicando em breve  o livro Shatter me, que traduzido para português ficou Estilhaça-me, conta a história de uma garota que tem um toque letal, ou seja, todas as pessoas em que ela toca, morrem. O booktrailer é reaproveitado da versão americana e a editora apenas legendou, mas o vídeo dá o ar de produção de cinema. Aguardamos a publicação!



Se aqui no Brasil, a editora Agir nem chegou a divulgar a data de lançamento de Vanish, lá nos Estados Unidos, o terceiro volume da série, Hidden já foi confirmado, divulgado e ainda tem essa capa linda, seguindo a tendência espetacular e surpreendente das anteriores. Dá vontade de ficar olhando por horas para os olhos dessa garota. 

Eu ainda não li a série, mas pretendo. Por isso, espero que aqui no Brasil os outros volumes sejam lançados! Abaixo a capa integral e a sinopse que não foi traduzida, sabe por que? Eu não li os outros livros da série, portanto, não posso sair mudando as palavras que são literais para as que mais combinam com o livro, se você já leu e conseguiu fazer essa tradução, mande pra mim nos comentários que eu edito este post.
Jacinda was supposed to bond with Cassian, the “prince” of their pride. But she resisted long before she fell in love with Will—a human and, worse, a hunter. When she ran away with Will, it ended in disaster, with Cassian’s sister, Miram, captured. Weighed down by guilt, Jacinda knows she must rescue her to set things right. Yet to do so she will have to venture deep into the heart of enemy territory.










Os hitmakers do LMFAO lançaram esta semana o clipe de Sorry For Party Rocking, que dá nome ao seu atual álbum. Os clipes do duo sempre tiveram a mesma estética, com festas e bebidas e apesar deste ter a mesma temática tem ar de curta-metragem com pouco mais de sete minutos de duração. Uma grande produção sem perder o conceito da banda. Adorei! Nota: 5/5


Então é isso, mais uma edição de T.G.I.F chegando ao fim. Espero que tenham gostado do resuminho da semana que preparei. Como sempre, você pode sugerir temas e vídeos para o meu e-mail e também do blog teu_mas@yahoo.com.br e não se esqueçam de curtir o fim-de-semana e a sexta-feira.


Curtam o fim-de-semana!

22.2.12

Diário de Bordo #003: Mercado editorial brasileiro, falta de valorização?

Crônicas e textos sobre as aventuras do humilde autor deste blog para se tornar um escritor. Sobre os livros, como fazê-los e as dificuldades do mercado, tudo isso no Diário de Bordo.
Quando você escreve seu primeiro livro, ou, que seja, o primeiro livro seu que considera "publicável", digamos assim, nem imagina que para ele se tornar um livro de verdade, ir para as prateleiras e ganhar leitores ainda existe um caminho enorme, assustadoramente difícil e cheio de barreiras e caminhos diferentes para se descobrir. Se você pensa que seu livro irá ser publicado após alguns meses de sua escrita, está muito enganado.

Atualmente, as editoras grandes que publicam, em sua maioria, livros de autores estrangeiros, têm a desculpa de que "desculpe, mas este livro não se enquadra em nossa linha editorial", o que, às vezes, pode ser até real. Afinal, você vai enviar um livro que se trata de literatura fantástica para uma editora que tem em seu currículo zilhões de livros com a temática romântica/ chick-lit?

Mas existe um ponto a ser discutido neste fato, essas editoras que só publicam livros de determinado gênero não perdem tempo em escolher aquele livro fantástico estrangeiro que fez sucesso na última Feira do Livro para fazer parte de seu catálogo, todo mundo quer ter um subtítulo de best-seller na capa do livro, isso chama leitores e, claro, infla o ego da editora.

O pior é que, atualmente, editoras brasileiras em sua maioria publicam somente autores estrangeiros, o que é uma vergonha. Uma vez que, aquele livro que deu certo e figurou séculos no The New York Times não dá certo aqui no Brasil, afinal, em cada país o tipo de livro que o leitor escolhe e gosta é bem diferente, são culturas diferentes e não pode dar certo por aqui.

Assim que terminei Roleta Russa fui atrás de editoras para a publicação e fui analisando o seu perfil literário, e encontrei uma cujo nome e sinopse dizem apoiar a publicação de autores brasileiros, claro que percebi que a tal editora diferenciava a diagramação e o cuidado em suas publicações brasileiras e as estrangeiras, mas tava valendo. Publicar é um sonho e eu quero realizar.

A editora, em pouco menos de uma hora, "avaliou" todas as quase quatrocentas e poucas páginas do meu livro e deu um sim. Claro que vibrei, mas tudo foi por água abaixo quando descobri o verdadeiro valor de tudo isso. A editora me cobrou dezessete mil reais pela publicação por um sistema em que eles publicam o livro em uma tiragem e eu compro metade dela.

Eu mandei-lhes um e-mail dizendo a verdade, afinal não tenho dezessete mil para dar na hora. Era um sonho, mas eu não iria fazer mais do que posso, existem outras por aí que parecem publicar sem o pedido de compra de metade da tiragem, então a editora, sabendo que não poderia participar da oferta, me deu um bloqueio tremendo dizendo que "o sistema tinha de ser cumprido por todos e tinham fechado o planejamento do catálogo".

Fiquei de queixo caído e isso, de certa forma, me deixou mais atento para o mercado editorial brasileiro. As editoras que dizem publicar autores novos e dar total apoio para a literatura nacional, poderiam fazer isso? Como elas queriam que uma pessoa iniciante teria grana para bancar tais valores e por uma publicação que era feita apenas para atingir a cota? 

O que me leva a pensar, no mercado, há certa falta de valorização dos autores brasileiros ou elas estão certas, afinal, apostar em algo desconhecido é bem mais arriscado do que publicar um livro que já tem sucesso e fãs? Nos vemos na próxima semana e prometo responder todos os comentários abaixo!


matheus goulart
autor de Roleta Russa, compre: http://www.bookess.com/read/9411-roleta-russa/
acesse o blog da série: www.serieroletarussa.blogspot.com

21.2.12

[Dica] Desescute - Um site para tirar músicas da sua cabeça


Cansado de cantar mentalmente aquela música que não sai da sua cabeça? (Todos Balança), então o site Desecute tem um sistema muito bom para poder tirá-las das sua cabeça, em uma dose intravenosa ou simplesmente em pílulas. Sabe qual a solução? Com outras músicas ainda mais chicletes, como Macarena, Meu Sangue Ferve por Você e Você não soube me amar
O Desescute é um website de utilidade pública. Quem nunca ficou com uma música cravada na cabeça o dia todo? Você acorda de manha e lá está a música cantarolando no seu cérebro. Ela torna seu dia totalmente improdutivo e parece impossível remover este câncer mental, não importa o que você faça. O Desescute traz uma solução baseada nos mais recentes estudos científicos sobre Impregnação Melódico-Cerebral: nós substituímos uma música chiclete em seu cérebro por outra ainda pior. 
Essa é a descrição do site sobre ele mesmo. Essa ideia ilária já está fazendo sucesso na internet! Portanto, se você não tira da sua cabeça o refrão daquela música chata tipo Ai, seu eu te pego, acesse o http://www.desescute.com.br e escolha pelo sistema intravenoso ou pelas pílulas e tire aquela canção da cabeça! E aproveite para curtir a página deles também! Merece pela criatividade, não merece?

17.2.12

Uma pequena pausa


Vim aqui somente para avisar que neste fim de semana não teremos atualizações, por isso, serão atrasadas edições de T.G.I.F, Playlist e B&L Web Dramaturgia, espero que entendam. Passei aqui somente para dar o aviso, pois irei viajar e não terei disponibilidade para postar. Volto na segunda-feira e a partir de lá, as seções vão prosseguir normalmente.

Bom fim de semana e bom carnaval!

16.2.12

Eu ♥ Capas: #002

Uma capa diz muito sobre um livro, assim como influencia na hora da compra. Veja aqui as capas que eu ♥.
Essa semana, capas de biografias e conceituais. Uma passagem pelas fotos simples de Adele e Lady Gaga até as enigmáticas de Julieta Imortal e A Passagem! Acompanhe e diga nos comentários qual ou quais são as suas favoritas! Lembrando que agora tem sistema de responder comentários no blog, então dá para debatermos à vontade.