10.1.14

Resenha: Cítrico - Simone O. Marques (Sabores do Sangue #2)

http://1.bp.blogspot.com/-3K-G-H5RJHo/UR99SPufQhI/AAAAAAAAAHE/51OjKlgeFxc/s300/citrico%252B-%252Bweb%252B-%252Bsom%252B%2525281%252529.jpgDepois de 3 demorados anos, o segundo livro da série Sabores de Sangue, foi lançado. E, alguns meses depois do lançamento, eu finalmente consegui chegar a ler a continuação de Agridoce. Eu fiz uma resenha para o primeiro livro mas, gente, foi em 2010, no comecinho do blog. Então tanto o meu gosto, capacidade de análise e eloquência eram um pouco deficientes naquela época. Por isso, não vou linkar a resenha no post, como sempre faço. Mas se quiser se arriscar e ler a minha resenha, que agora classifico como bem confusa (até mesmo pra mim), é só pesquisar no arquivo do blog. Quando digo que a resenha ficou confusa até mesmo pra mim foi porque eu fui lê-la afim de refrescar a minha memória a respeito de um livro que eu tinha lido há 3 anos atrás e não achei nada útil ou que me desse um insight com o enredo do livro anterior.

E, preciso confessar. No início, foi bem difícil. Cítrico começa muito pouco tempo depois do final de Agridoce, então a autora quase não se preocupa em lembrar do leitor do que houvera nas cenas finais do primeiro volume. Com Anya na casa de seu tutor, ainda adaptando-se ao fato de ser portadora da doença do sangue (vulgo vampira), nós descobrimos pelos diversos pontos de vista adotados durante a leitura, muitas coisas acerca da diferente mitologia criada por Simone O. Marques. Confesso que os primeiros capítulos de Cítrico foram bem maçantes pra mim. Não sei se foi porque eu ficava parando toda hora para lembrar quem era o personagem e pra que ele servia na história ou porque os primeiros capítulos estão em sua maioria isentos de alguma ação ou acontecimento contribuinte para a evolução do enredo. 

Porém, passados os primeiros capítulos. Já um pouco familiarizado com a história, achei bastante interessante o fato de ela colocar nesse livro informações explicando todos os três lados que são afetados pelo Despertar. E, mesmo que eu tenha sentido falta de alguma ação, Simone conseguiu me entreter apenas com essa forma de nos mostrar o que queremos ver, apresentando um novo personagem e ao mesmo tempo explicando sobre o que ele é. Com o devido esclarecimento, a metade do livro se concentra em estabelecer o conflito e criar ação. E, posso dizer, só essa parte já vale pelo livro inteiro. As coisas mudam de figura bem rápido, o cenário muda e o que até então permanecia intocado, passa a se cruzar.

Já posso adiantar que meu personagem favorito deste livro é Dante. Gente, eu amo uma paixão proibida e essa que foi criada no livro... Meu Deus! É simplesmente uma coisa de outro mundo que eu nunca imaginaria no primeiro livro e me pegou totalmente de surpresa no segundo. Não vou revelar porque ele faz parte daquela virada do meado do livro. Torço muito para que dê certo. Anya me passou uma espécie de amor e ódio. Mais ódio do que amor. Ela chora muito. Eu não estou brincando! Ela leva um susto e pá chorou. Alguém fala algo pra ela e pá chorou de novo. Mesmo que ela seja toda a representação da garota frágil e superprotegida que viu a vida virar de ponta a cabeça, essa coisa de chorar o tempo todo ficou repetitivo e um pouco forçado. E acho que esqueci de falar que Anya atrai quase todos os personagens do sexo masculino deste livro, isso meio que faz parte de um poder que ela tem e tudo mais. Isso não me incomodou, só queria fazer essa observação mesmo, haha. Daniel é legal, mas... Ele acabou por virar um segundo Ivan, chato de galocha.

O fato de Anya poder atrair todos os homens a todo tempo foi um grande trunfo da autora. Porque, depois de ver que até com as pessoas erradas ela é capaz de criar algum efeito de atração, a ideia do casal romântico principal fica meio que incerta na cabeça do leitor e gostaria muito de saber o que Simone tem em mente para os próximos livros, porque realmente não faço ideia. A gente tem meio que uma segunda vilania estabelecida então acho que posso prever muito sofrimento para Anya nos próximos livros. Sim, "nos próximos". Tive uma surpresa quando soube que teria mais livros na série, jurava que fosse uma trilogia. Espero que a autora tenha história útil até lá, tenho algumas expectativas e espero que ela as supere, assim como fez com Cítrico. Não fosse a deficiência, embora necessária, nas primeiras páginas, esse livro ganharia cinco estrelas facilmente. Porque tem uma boa história, uma mitologia fascinante, uma escrita muito fácil e ao mesmo tempo bem rica e personagens muito apaixonantes. Mas deixo aqui a minha recomendação pra esse que é um dos melhores livros que li da nova cena nacional e uma das séries favoritas de vampiros. Esse é um daqueles que você precisa ler! :)

Editora: Literata
Autora: Simone O. Marques
Série: Sabores do Sangue - Livro Dois
Título original: Cítrico
Páginas: 290
  4 de 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário