31.1.14

Resenha de filme: O Ditador (2012)

 
Depois do sucesso estrondoso de Borat, o ator Sasha Baron Cohen volta para mais um filme non-sense de muito sucesso. Desta vez usando a sua acidez humorística para fazer uma crítica ao estilo de vida americano e aos esteriótipos do dia-a-dia. Sasha representa um ditador, chamado Aladeen que comanda um país de nome Wadiya (pronunciando-se "vadia") que ao ver seu reino ditatorial sendo ameaçado, quando é alvo de um golpe e um sósia é colocado em seu lugar prestes a assinar um acordo de democracia no país. Sozinho no país que odeia, os Estados Unidos, ele tenta de todas as formas recuperar o seu posto e impedir que Wadiya conheça a democracia. 

Ao contrário da maioria das pessoas, eu nunca assisti Borat. Não sei, nunca me interessei por este filme. Mas, por alguma razão, desde o seu trailer, O Ditador me chamou bastante atenção. Quando finalmente fui assistir, uma sensação foi de que as minhas expectativas estavam completamente certas. Esse filme é completamente hilário. Cheio de cenas politicamente incorretas, com muitas piadas de humor negro e situações ridículas que me fizeram gargalhar, e muito. Mesmo que Aladeen seja a personificação do anti-herói, a figura caricata que ele é, mesmo com seus egocentrismos e atitudes muito erradas, nos faz torcer para ele durante o filme. E ainda mais pelo improvável par romântico com Zoey, interpretado pela minha querida Anna Faris (que infelizmente não tem muito mérito como atriz, mas seus filmes são sempre uma delicinha de se assistir). Cheia de exageros em expressões, ela consegue levar bem o personagem, justamente porque ela é exagerada e estereotipada como todos os outros personagens deste filme.
Uma das coisas que me agradou bastante nesse filme foi as suas milhares de referências à cultura pop. Sim, há muita crítica social e política presente aqui (exemplo o discurso de Aladeen na cena da assinatura do acordo), mas as aparições de celebridades e as citações também são uma carta na manga na trama. O Ditador é bizarramente divertido, despretensioso, mas consegue mostrar a que veio em pouco mais de uma hora de filme. Me fez ficar com vontade de ver Borat, embora ainda tenho um pé atrás quanto ao filme. Recomendo pra todo mundo que quer se divertir e se diverte com esse tipo de humor. É uma ótima pedida!

Assista ao trailer!


Nenhum comentário:

Postar um comentário